CIC reúne empresas da área de serviços para avaliar momento do setor

CIC reúne empresas da área de serviços para avaliar momento do setor

A CIC realizou na quarta-feira, 6 de julho, mais uma reunião-almoço para ouvir a opinião de empreendedores associados, nesta edição com representantes do setor de serviços. “Temos visto uma situação um pouco diferente em nossa cidade em relação à realidade nacional. Temos questionado o nosso papel como entidade e nestes encontros podemos conhecer melhor o momento de cada segmento e, com isso, agregar ações que atendam os anseios de nossos associados”, destacou a presidente da CIC, Alexandra Nicolini Brufatto.

Para o advogado, Zolair Zanchi, a atuação das lideranças locais será cada vez mais importante na retomada do desenvolvimento e do direcionamento do país. “Não veremos os problemas resolvidos pelos governos federal e estadual, porque eles estão falidos. Encontros como este são fundamentais para dar um início a esse movimento”, disse o representante da Koff e Zanchi Advogados.

O diretor executivo da CIC, Luiz Carrer, disse que a entidade possui representantes em todas as federações empresariais do estado com o objetivo de apresentar as demandas setoriais. “Por isso que encontros como esse são importantes para podermos estar em sintonia com os temas de relevância para cada um dos segmentos da economia local e, particularmente, para que nossos empreendedores possam manter o equilíbrio em suas atividades”, ressaltou.

Participaram da reunião, representantes do Sicredi, A.G. Comércio, Importação e Exportação, Brasdiesel, Grupo Elite, Koff e Zanchi Advogados, Empreiteira Benini, Oficina do Papel, Imobiliária Aimi Imóveis, Trattoria Primo Camilo, NCN Eletro, Contec Escritório Contábil, Práttica Logística Comercial e Estrada do Sabor. Durante o encontro também foram discutidos assuntos relacionados ao excesso de burocracia, legislação e dificuldades de financiamentos com custos mais baixos para o setor produtivo.

Marilei Pasa, da Práttica Logística, disse que as empresas de transportes passam por um momento delicado, principalmente porque alguns setores produtivos também enfrentam uma crise série e diminuíram, consequentemente, sua demanda por esse tipo de serviço. “A antecipação dos prazos para pagamento do IPVA no Estado também obrigou uma readequação financeira e isso gerou sérios problemas de caixa”, explicou.

Os setores de gastronomia e turismo, pelo contrário, vivem uma realidade diferente desta. Altemir Pessali, da Trattoria Primo Camilo, lembra que a região é um destino consolidado e que as empresas devem ter seu foco voltado ao bem servir. “Não vamos passar por crises nunca. Nós vendemos serviços e temos um potencial muito grande para avançar. Garibaldi precisa estar atenta a isso. Quanto mais investirmos em coisas boas, mais turistas iremos atrair e mais investimentos e recursos a cidade irá receber”.

 

 

CIC Garibaldi




Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: