Movelsul Brasil fomenta US$ 35 milhões em exportações com rodadas virtuais de negócios

0

Com participação de 18 países, perspectiva da ação era criar uma janela de oportunidades para negócios que teriam sido gerados na feira em 2020

A pandemia trouxe novas perspectivas de mercado para o setor moveleiro e a Movelsul Brasil, principal feira de móveis da América Latina para o lojista e importador, conseguiu articular um ambiente de negócios para a cadeia moveleira mesmo com o adiamento de sua próxima edição para 2022. Com forte tradição no fomento às exportações, a feira trouxe para o ambiente virtual as rodadas de negócios que teriam ocorrido no evento entre fabricantes brasileiros de móveis e lojistas estrangeiros. Nos meses de novembro e dezembro, a Movelsul articulou 320 reuniões virtuais entre 85 empresas brasileiras e 48 importadores, com uma expectativa de geração de 35 milhões de dólares em exportações.

As reuniões, com apoio da Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil), ocorreram numa plataforma digital desenvolvida especialmente para esse projeto e que possibilitava às empresas cadastrarem seus portfólios e agendarem rodadas com compradores aderentes a cada perfil de fabricante. Além de importadores de móveis, foram convidados a participar importadores e distribuidores de insumos para o fabricante moveleiro, lojistas internacionais de e-commerce, lojas físicas de design e lojistas brasileiros de móveis e decoração.

Foram 18 países participantes: Antilhas Holandesas, Argentina, Chile, Colômbia, Equador, Espanha, Estados Unidos, França, Guatemala, Honduras, México, Panamá, Paraguai, Peru, Quênia, República Dominicana, Senegal e Uruguai. Esse foi mais um movimento articulado pelo Sindicato das Indústrias do Mobiliário de Bento Gonçalves (Sindmóveis), entidade promotora da Movelsul Brasil, em busca de novos caminhos para seguir seu propósito de construir pontes, estreitar laços e gerar negócios na cadeia do setor moveleiro.

O presidente da entidade, Vinicius Benini, pontua que foi um grande desafio realizar essas rodadas on-line. A perspectiva da ação, segundo ele, era a criação de uma janela de oportunidades para negócios que teriam sido gerados na Movelsul Brasil 2020. “O saldo foi muito positivo e conseguimos uma entrega rápida dentro das limitações de nosso contexto”, afirma.

A organização da Movelsul Brasil vai seguir se relacionando com esses compradores participantes da ação e a expectativa é trazer um bom número de importadores presencialmente em 2022. “Acreditamos que a próxima edição da Movelsul Brasil vai ter uma demanda ainda mais forte de exportações com uma  necessidade de contato presencial para os negócios”, avalia o presidente Vinicius Benini.

Exportações

As exportações de móveis estão avançando. Embora ainda não tenham recuperado as perdas ocorridas especialmente no segundo trimestre, os embarques dos últimos meses já atingem os níveis pré-pandemia, até superando em alguns casos. No polo moveleiro de Bento Gonçalves, que engloba cerca de 300 indústrias dos municípios de Bento Gonçalves, Monte Belo do Sul, Pinto Bandeira e Santa Tereza, foram exportados US$ 47,6 milhões no ano passado, uma queda de 0,2% na comparação com 2019. Destaque para o desempenho nos Estados Unidos, que está cada vez mais consolidado como o principal destino dos móveis da região, seguido de Peru e Reino Unido.

Ao mesmo tempo, no RS, verificou-se uma queda de 9,8% e no Brasil como um todo, queda de 2% nas exportações de móveis. O cenário ainda é de incertezas e muita volatilidade, mas boas notícias no mercado internacional vindas especialmente da retomada econômica, aumento da demanda por móveis e a possibilidade de vacinação no primeiro semestre do próximo ano devem seguir sustentando o crescimento nos próximos meses.

Fonte: Ana Carolina Azevedo / Assessoria de imprensa / Sindmóveis Bento Gonçalves